Cataratas do Iguaçu/Foz do Iguaçu - Joel Rocha/Seet

Grupo Gestor de Revitalização do Rio Iguaçu (GGRI)

Apresentação

O Grupo Gestor de Revitalização do Rio Iguaçu (GGRI) é um formado por diversas instituições e tem como missão trabalhar pela revitalização, despoluição e preservação do maior rio do Paraná: o Rio Iguaçu. Seu trabalho está ligado ao Projeto de Revitalização do Rio Iguaçu, instituído pelo Decreto 1.589/2015, assinado pelo governador Beto Richa em 2 de junho de 2015 e publicado no Diário Oficial 9.465 no dia seguinte. O GGRI é coordenado por Mario Celso Puglielli da Cunha.

O GGRI é composto por dois membros (sendo um titular e outro suplente) das seguintes instituições:
- Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMA);
- Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (SEAB);
- Secretaria de Estado do Planejamento e Coordenação Geral (SEPL);
- Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano (SEDU);
- Companhia de Saneamento do Paraná (SANEPAR);
- Companhia Paranaense de Energia (COPEL);
- Instituto das Águas do Paraná (AGUASPARANA);
- Instituto Ambiental do Paraná (IAP);
- Casa Civil;
- Institutos LACTEC.

Confira aqui a lista atualizada dos membros do GGRI para o ano 2017.

O mesmo Decreto instituiu o Comitê de Coordenação Estratégica para coordenar as ações do Projeto de Revitalização do Rio Iguaçu. Do Comitê participam a vice-governadora, os secretários da SEMA, SEPL, SEAB, SEDU e os presidentes da SANEPAR e da COPEL. A coordenação do Comitê cabe à vice-governadora e, no seu impedimento, ao secretário da SEMA.

O trabalho do GGRI busca a realização e a coordenação de atividades que promovam ações e mobilização social para o cuidado com o Rio Iguaçu, considerando sua Bacia Hidrográfica em toda extensão.

O desafio do GGRI é imenso e a intenção é estimular um trabalho contínuo e conjunto que ajude a respeitar o que diz a Constituição Estadual do Paraná em seu artigo 207: todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Estado, aos municípios e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para a geração presente e para as gerações futuras, garantindo-se a proteção dos ecossistemas e o uso racional dos recursos ambientais.

A despoluição, no entanto, só será uma realidade se houver compromisso de toda a sociedade. Você mesmo pode colaborar: descartar certo os resíduos e usar a rede de esgoto adequadamente já é um grande passo. Sua ajuda é bem vinda! A preservação do maior rio do Paraná precisa de cada um de nós para se tornar realidade. E de todos nós.
Recomendar esta página via e-mail: